Estes são dos melhores vinhos portugueses

Ao todo, 102 vinhos Tintos, Verdes, Rosés e do Porto foram reconhecidos entre os melhores, em 2015, com o Prémio Uva Ouro Excelência e Prémio Melhor da Região. Saiba aqui quais são e como combinar estes vinhos disponíveis nos lineares dos supermercados e hipermercados Continente.

Em 2015, o melhor vinho do mundo foi português, segundo a revista “Wine Spectator”, sendo o ‘Dow’s Vintage Porto 2011’ a conseguir o primeiro lugar no ranking. Mas, os prémios não se ficam por aqui e as marcas lusas continuaram a ser reconhecidas por especialistas nacionais e internacionais, enólogos e sommeliers de vários mercados.

Após uma rigorosa seleção, o enólogo do Continente, Aníbal Coutinho, procedeu ao difícil escrutínio de vinhos nacionais a concurso nas categorias Prémio Uva Ouro Excelência 2015 e Prémio Melhor da Região 2015. A lista é vasta e para todos os paladares, contando com 34, na primeira classificação e 68 na segunda categoria e com um evidente destaque para os Tintos de Reserva.

No entanto, no que toca a harmonização de vinhos com a comida há seleções para toda a mesa. Existem combinações clássicas e outras menos consagradas. A enogastronomia ditou as regras e os especialistas não perdoam.

“os vinhos efervescentes devem ser consumidos mais frios do que os restantes”

Se for cozinhar carnes vermelhas, sejam nacos de média ou elevada dimensão, a recomendação do enólogo Aníbal Coutinho é a de “um vinho tinto das regiões de montanha (Trás-os-Montes, Douro, Dão ou Beira Interior)”. Devido ao processo culinário mais condimentado, recomenda “o nível de qualidade de Reserva”. A gama Contemporal Reserva, no Dão ou no Douro são boas opções para a harmonização deste prato, assim como a frescura atlântica do Contemporal Reserva, Tinto da DOC Bairrada.

Já, por exemplo, a casta branca Alvarinho, da sub-região mais setentrional dos Vinhos Verdes – da zona de Monção e Melgaço, “tem um bago muito pequeno o que faz com que os vinhos verdes feitos a partir desta casta juntem à frescura uma certa estrutura e cremosidade na boca que combinam bem com peixes de média dimensão”. O especialista recomenda ainda esta variedade com “todo o marisco de maior dimensão, peixes de costa de pequena e média dimensão ou diluição de peixes maiores em arroz, na caldeirada ou em à Braz”, mas também dispõe de uma acidez bem-vinda “quando o método culinário acrescenta gordura, como é o caso de fritos e panados”.

Por seu lado, os vinhos efervescentes devem ser consumidos mais frios do que os restantes, porque a baixa temperatura impede a libertação rápida do gás dissolvido.

Em comida tradicional de tacho, com apresentação diluída mas baseada em carnes gordas, como as Tripas à moda do Porto, por exemplo, deve procurar-se um vinho de diluição, mas com boa acidez para refrescar a boca e contribuir para o combate com a gordura. O perfil correto é um vinho tinto de uma região atlântica, como vinhos verdes tintos, da Bairrada ou Lisboa.

Conheça aqui alguns dos premiados (Tintos, Verdes, Rosés e do Porto) e saiba como combiná-los:

Categoria Uva Ouro Excelência 2015 – Tintos

Contemporal, Selection 2012| DOC Douro (3,99€)

Dadas as suas notas de ameixa preta e cereja, combina bem com queijos de sabor intenso como o queijo da Ilha ou de Azeitão.

Ameias, Syrah 2013| Regional Península de Setúbal (5,99€)

Este é um vinho de grande intensidade, com aroma de frutos pretos e alguma baunilha, é um vinho macio e equilibrado.

Categoria Uva Ouro Excelência 2015 – Brancos

Castello D’Alba, Reserva 2014| DOC Douro (5,99€)

É gordo e cremoso, com volume e frescura, muito longo. Tem uma boa combinação com carnes vermelhas.

Tapada do Barão, Colheita Selecionada 2014| Regional Alentejano (4,99€)

Harmoniza com massas, peixe e queijos.

Categoria Uva Ouro Excelência 2015 – Porto

Quinta do Infantado, Tawny n.d.| DOC Porto (15,29€)

Combina bem com o queijo da serra da estrela ou com um queijo de ovelha, rico em aromas.

Categoria Melhor da Região 2015 – Tintos

Chaminé, 2013| Regional Alentejano (4,99€)

Tem um paladar concentrado, características de frutos silvestres maduros e a estrutura é suave e equilibrada. É de grande versatilidade com carnes.

Encostas d’Alqueva, Reserva 2013| Regional Alentejano (7,49€)

É intenso e suave e ajusta-se bem a saladas, massas e carnes vermelhas.

Categoria Melhor da Região 2015 – Brancos

Fiuza, Sauvignon Blanc 2014| Regional Tejo (6,49€)

É um vinho leve, fresco, jovem e frutado. Combina com carnes brancas, peixe, marisco e queijo.

Herdade da Comporta 2014| Regional Península de Setúbal (8,59€)

É cristalino e citrino, com aromas de limão e fruto tropical maduro, cheio e ligeiro acídulo, persistente e prolongado. É um bom vinho para tomar como aperitivo, com saladas e pratos de peixe e marisco.

Categoria Melhor da Região 2015 – Rosés

Pousio 2014| Regional Alentejano (3,99€)

Combina bem com qualquer alimento e pode ser uma boa forma de acompanhar um churrasco de verão.

Vallado 2014| Doc Douro (5,99€)

É uma ótima combinação para uma variedade de comida ligeiramente temperada, incluindo vegetais e pratos de salada, graças à sua doçura suave.

Categoria Melhor da Região 2015 – Porto

Croft, Tawny | DOC Porto (5,49€)

Este vinho funde-se bem com queijos ricos e acres.

Ferreira, Quinta do Porto, 10 anos | DOC Porto (16,99€)

É uma bebida versátil que permite várias combinações, especialmente com chocolate ou as tradicionais sobremesas portuguesas à base de ovos e amêndoas.

Categorias
Comida
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço