Judite de Sousa lança livro sobre a doença mental

No passado dia 9 de maio, a Fnac do Colombo recebeu o lançamento do livro “Pensar, Sentir, Viver” sobre saúde mental, com perguntas da jornalista Judite de Sousa e respostas do psiquiatra Diogo Telles Correia.

“A vida é um novelo que alguém emaranhou. Há um sentido nela, se estiver desenrolada e posta ao comprido, ou enrolada bem. Mas, tal como está, é um problema sem novelo próprio, um embrulhar-se sem onde”, a frase de Fernando Pessoa é uma das primeira citações do novo livro “Pensar Sentir Viver” (Bertrand Editora), uma conversa entre a jornalista Judite de Sousa e o psiquiatra Diogo Telles Correia sobre a saúde e a doença mental mas também sobre a cura.

Apresentado por Fausto Pinto, diretor da Faculdade de Medicina de Lisboa e por José Alberto Carvalho, jornalista e amigo de Judite de Sousa, a obra pretende desmistificar a doença mental e chegar a um público cada vez mais abrangente.

O autor, que além de psiquiatra é também professor da Faculdade de Medicina, considera fundamental que “figuras públicas se associem a este tema já que, no fundo, são aquelas que conseguem chamar mais a atenção para estas questões”.

Muito recentemente, foram os príncipes William e Harry a falarem da morte da mãe, a princesa Diana, quando eram ainda crianças e como isso afectou a sua saúde mental.

O drama da jornalista que perdeu o seu único filho, André Sousa Bessa a 29 de junho de 2014, num acidente e a forma como tem lidado com esta perda não passou ao lado do livro: “Os filhos que perdem os pais são órfãos. Os pais que perdem os filhos são o quê? Não há palavra, olhar, gesto, que seja capaz de dizer aos outros a dimensão da dor do sofrimento psicológico e físico”, assume logo na introdução do livro. No entanto, durante a apresentação focou-se mais nos agradecimentos aos amigos que a têm acompanhado nos momentos mais difíceis do que no seu drama pessoal. Sobre o trágico acidente, referiu apenas que cabe ao coração guardar “aquilo que nos escapa das mãos”.

A obra divide-se em seis capítulos que abordam questões centrais sobre doença e saúde mental, mas também sobre tratamentos e medicação. A obra começa por dissertar sobre os enigmas da mente, discorrendo depois – sempre em formato de pergunta e resposta – sobre a ansiedade, a depressão, a doença mental grave e o alívio da dar mental, falando sem constrangimentos sobre os vários tratamentos e medicação disponível, os sinais de alarme e o papel do psicólogo, do psiquiatra e do médico no acompanhamento dos doentes.

Um livro sem preconceitos dirigido a todos, já que são cada vez mais os estudos que indicam que o número de depressão e ansiedade “cresce de forma alucinante”. Diogo Telles vai mais longe e cita um estudo da Universidade de Michigan que indica que “cerca de metade da população irá padecer de algum tipo de doença mental ao longo da vida”.

Publicação
07 de Junho de 2017
Categorias
Cultura
Partilhar

Tudo o que precisa num único espaço