Surpreenda a sua cara-metade com um jantar de sonho

Se quer mesmo ser romântico no Dia de São Valentim, surpreenda a sua namorada com um Risotto al gamberetti e asparagi verdi. Parece difícil? A Chef Liliana Ferreira, do Pasta Caffé ensina-o.

Se é daqueles que odeia confusão e pretende fugir dela no Dia dos Namorados, mas quer fazer uma coisa especial, temos a solução para si: surpreenda a sua cara-metade cozinhando um prato distinto. Do nosso lado, deixamos a receita, passo a passo, de Liliana Ferreira, Chef do restaurante Pasta Caffè, e vai ver que é fácil, rápido e terá a noite garantida.

Como não podia deixar de ser, a gastrónoma confecionou um prato de sabor bem italiano – Risotto al gamberetti e asparagi verdi (Risotto de gambas com espargos). A escolha é simples: “É um prato de conforto, que se aprecia lentamente enquanto se conversa“, refere.

Segundo Liliana Ferreira, fazer um risotto “não é um processo que se rege por uma ciência exata”, porque embora exista uma quantidade de arroz recomendada por pessoa, “pode e deve acrescentar-se sempre mais um bocadinho”. Sendo uma comida que provoca bem-estar, “apetece sempre mais”, sublinha ainda.

Conheça a receita abaixo, com a explicação da chef do Pasta Caffé:

Ingredientes para duas pessoas

20 gambas (10 por pessoa);

  • Limão;
  • Sal grosso;
  • Alho;
  • 4 espargos (2 por pessoa);
  • 160 gramas de arroz seco (recomendado cerca de 80 gramas por pessoa);
  • ¼ de cebola picada;
  • Azeite;
  • Meio copo de vinho branco;
  • Meio copo de parmesão em pó;
  • Caldo de legumes (água, manjericão, sal, alho).

Preparação
As gambas são postas a marinar em limão, sal grosso e alho laminado (medidas a gosto) e reservam-se. A seguir, retira-se a cabeça dos espargos (por terem um sabor demasiado forte, essa porção não é usada na confeção e deixam-se de parte), cortam-se às rodelas e reservam-se.

De seguida, prepara-se o caldo de legumes: para 10 litros de água, juntam-se 8 gramas de sal, uma cebola, manjericão e alho a gosto. Segundo a cozinheira, pode ainda levar um talo de espargos ou qualquer outro legume, dependendo da preferência da pessoa. O caldo fica a ferver.

Entretanto, coloca-se azeite num tacho e junta-se a cebola picada. Quando esta ficar translúcida, acrescenta-se o arroz, mexendo em movimentos incertos. “O movimento em que se envolve o risotto é importante, porque este é o processo que vai vitrificar o arroz”, ou seja, soltar a goma dando-lhe uma aparência cremosa, explica a Chef do restaurante italiano. A gastrónoma acrescenta ainda que no caso do risotto, os movimentos são em vários sentidos e “não como no caso da preparação de um bolo”, por exemplo, em que se deve mexer em movimentos circulares “para a direita”. Quando o arroz estiver a ficar transparente, adiciona-se o vinho branco e, na fase em que este último ingrediente começar a desaparecer e o arroz começar “a soltar a goma”, vão-se juntando conchas de caldo, sem parar de mexer, até o arroz ficar pré-cozido. Quando estiver nesse ponto, acrescentam-se os espargos previamente salteados em azeite e sal grosso e, de seguida, quando a mistura perder a água e estiver mais pesada, juntam-se as gambas e o parmesão, envolvendo muito bem.

No empratamento, usam-se as cabeças dos espargos, retiradas no início, para decorar no topo. Aconselha-se um vinho espumante ou uma sangria de frutos vermelhos, bem famosa no Pasta Caffè, para acompanhar.
A profissional de cozinha recomenda que ao longo do procedimento se esteja “sempre atento ao arroz”, mexendo-o muito bem, mas acima de tudo é importante acrescentar um pouco de amor e carinho”. Apesar de não seguir uma receita à risca, “não é a olho que se cozinha risotto, é com sensibilidade”, frisa a Liliana Ferreira.

Partilhar