Missão saldos: oito dicas para sobreviver

Se me dessem dez euros por cada vez que digo “desta vez não vou aos saldos” é provável que já tivesse amealhado uma boa quantia…para ir aos saldos. Não há volta a dar, por mais que uma pessoa tente fugir-lhes, eles estão em todo o lado, qual polvo com mil tentáculos. As montras com os cartazes a anunciar percentagens tentadoras são como ímans demoníacos: quando damos por nós, já estamos agarradas a três pares de calças e oito sandálias que nem sequer nos fazem falta mas que… estão em saldos.

O que é que vale mesmo a pena comprar nos saldos?

Há desculpa melhor? Manter a sanidade mental na época de promoções não é fácil, por isso aqui ficam oito conselhos para lhe sobreviver com sucesso:

1- Então mas quando é que devo ir aos saldos? Logo ao início, quando ainda há muita coisa mas os descontos são fraquinhos, ou mais para o fim, quando já está tudo mais do que escolhido mas as promoções chegam até aos 70 ou 80%? Ora bem, não sendo isto uma ciência exata, eu diria que talvez não seja má ideia juntar o melhor de dois mundos. Ou seja, ir logo nos primeiros dias para tentar apanhar aquilo que se quer MESMO e que já se tem debaixo de olho há uns meses, e depois ir passando, porque há sempre umas belas surpresas até ao fim, qual secção de perdidos e achados. Geralmente de manhã as lojas ainda não viraram um campo de batalha, por isso tente apresentar-se pela fresca.

2- Fazer uma lista do que se quer ou do que se precisa é meio caminho andado para não se entrar numa espiral de compras desenfreadas. É chegar às lojas de listinha na mão e ir direta ao assunto sem desviar o olhar. As compras por impulso são as nossas piores inimigas durante os saldos.

ao aproximar-se da sua quantia-limite faça acionar o alarme mental

3- Estabeleça um orçamento e tente não divagar. Se só quer gastar 50 euros vá somando o valor das peças e ao aproximar-se da sua quantia-limite faça acionar o alarme mental que lhe diz minha menina, está na altura de te pores a andar daqui.

4- Tente não sucumbir ao factor desconto. Se for para poupar três euros e levar para casa mais um trapo que provavelmente nunca usará, então não vale a pena o investimento. Guarde-o para qualquer coisa pela qual se perca de amores. Dito isto, é importante que olhe atentamente para as etiquetas e perceba quanto está a poupar. Se não estiver assinalado pergunte.

Se tem miúdos esta também é uma boa altura para lhes comprar roupa

5- O que é que vale mesmo a pena comprar nos saldos? Ora bem, peças básicas que use o ano todo (jeans, t-shirts lisas), peças mais caras e de boa qualidade (uma bela carteira, um bom casaco), peças da própria estação (por exemplo, o Verão ainda agora começou e o que não faltam nos saldos são biquínis e fatos-de-banho), roupa de desporto (se não faz está na hora de começar a fazer) ou roupa interior (há sempre um momento na vida para renovar cuecas e soutiens). Também pode aproveitar as promoções para procurar algo para um evento específico (uma festa, um casamento). Tratando-se de uma peça que, possivelmente, só usará uma vez, quanto menos gastar, melhor. Se tem miúdos esta também é uma boa altura para lhes comprar roupa para as próximas estações.

6- Atenção aos defeitos! Nesta altura há marcas que tentam despachar artigos com pequenos defeitos. Há alguns que estão assinalados e outros que nem por isso, portanto inspecione tudo com mil olhos.

mas então uma pessoa não se pode divertir nos saldos

7- Enfrentar os provadores em época de saldos é tão agradável como bater com o dedo mindinho do pé na quina de uma mesa, mas tem de ser. Experimente tudo e compre apenas o que lhe servir. Não leve mais pequeno a pensar que um dia vai caber, nem maior a pensar que depois manda arranjar, porque é provável que nenhuma destas situações venha a acontecer.

8- Certo, já li as regras todas, mas então uma pessoa não se pode divertir nos saldos?. Claro que sim, longe de mim estar aqui a instituir uma pequena ditadura. A piada dos saldos também passa muito pela descoberta de um desconto imperdível ou por conseguir desencantar uma peça espetacular no meio de uma pilha de monos. Desde que não tenha de pedir um empréstimo para ir aos saldos nem volte para casa com dez quilos de roupa que dificilmente usará, de resto vale tudo.

Aqui ficam 12 peças que tenho debaixo de olho.

Partilhar